quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

INCONFIDÊNCIA MINEIRA: VÍDEOS PARA REFORÇO

Selecionei alguns vídeos sobre Inconfidência mineira para meus alunos do 8º ano, como forma de forçar o estudo do conteúdo, que estou encerrando esta semana. Seguem os vídeos.









IEB anuncia doação de suas publicações


IEB anuncia doação de suas publicações a entidades interessadas - Unidade que reúne alguns dos mais importantes acervos da USP de cultura e história do Brasil, o Instituto de Estudos Brasileiros (IEB) anuncia que realizará a doação de publicações a outras instituições.


Unidade que reúne alguns dos mais importantes acervos da USP de cultura e história do Brasil, o Instituto de Estudos Brasileiros (IEB) anuncia que realizará a doação de publicações a outras instituições. Serão disponibilizados os números da revista do IEB e livros resultantes de pesquisas realizadas no instituto, bem como outras que contemplem os estudos brasileiros. O objetivo é conceder as obras a organizações de ensino, cultura ou de alguma forma ligadas a esses assuntos, como bibliotecas e organizações não-governamentais, e não a pessoas físicas. A lista de publicações disponíveis encontra-se no site do Instituto.

Leia mais, clicando aqui!

III Exposição Nacional da Cabra Saanen


Clique na imagem para ampliar

Não é exatamente uma postagem sobre história, mas como a pecuária tem sido uma vocação local, não custa divulgar o evento e convidar a todos para prestigiá-lo.

DICA DE BLOG SOBRE EDUCAÇÃO


Gosto muito do Blog da Cláudia Conte. Ela não faz publicações constantes, mas quando publica seus textos são pura reflexão. O último post , publicado nesta segunda, dia 21 de Fevereiro, está particularmente aprazível. O título é DESAFIOS E DESAFIOS NA EDUCAÇÃO - POR UM PACTO DE AMOR. Eu pretendo sugerir a ela que, em breve, reúna seus textos em um pequeno livro para compartilhar suas reflexões com mais pessoas - nem todo professor é blogueiro.

Quem quiser conferir o texto, pode ir diretamente ao blog, clicando aqui!

domingo, 13 de fevereiro de 2011

PROFESSOR CRIADOR OU "COPIADOR"?


Semana passada eu dei aulas sobre Renascimento. Nelas, quando falamos do ser humano, do humanista, ele é apresentado como criatura e criador. O ser humano foi dotado da capacidade de criar, logo, ele pode e dever desenvolver o que chamamos de criatividades. O professor é um exemplo disso. Para poder exercer bem suas atividades em sala de aula ele deve sempre usar de criatividade, saber não apenas criar mas reaproveitar e modificar o material utilizado em outros anos ou mesmo em outros contextos.

Acho que todo professor deve se preocupar em montar um banco de dados, onde ele pode armazenar atividades e textos que possam ser úteis futuramente. Quando eu, por exemplo, tenho uma ideia para trabalhar na sala de aula eu gosto de compartilhá-la. Quando preciso de um texto ou uma informação procuro na Internet ou nos livros que tenho em casa. Monto minhas atividades misturando um pouco do que eu encontro nessas fontes com aquilo que eu acho que será adequado para meus alunos. E assim vamos indo.

Acho que a Internet é uma ferramenta muito valiosa, mas mesmo ela precisa ser bem usada. Tenho percebido que muito professores não desenvolveram ainda esta habilidade e ficam na dependência do que outros fazem. Ora, é parte essêncial da formação e do aprendizado do professor elaborar seu próprio material e, se possível, generosamente compartilhar com outros colegas. Mas compartilhar não implica em "fazer o trabalho".

Como revelei acima, eu retiro muito material da Internet, logo me vejo na obrigação de retribuir colocando meu material à disposição. No entanto, tenho notado que com uma frequência cada vez maior pessoas entram em contato comigo não para pedir um determinado texto que postei ou um slide que usei (geralmente por não conseguirem fazer donwload), mas para que eu envie todo o meu material, indiscriminadamente. Material que eu elaborei para minhas turmas, que são de uma realidade específica e que partilha de peculiaridades próprias. Isso realmente me preocupa.

A faculdade é apenas parte da formação do professor, e uma parte pequena. Ela oferece ao futuro docente instrumentos para que ele possa buscar
seu modo próprio de ensinar. Mas para isso ele tem que criar, experimentar o sucesso e o fracasso. É assim que se forma o bom profissional, na prática diária da sala de aula, com seus altos e baixos. Fico profundamente entristecida quando percebo que temos professores que estão pulando esta fase da formação, que desejam o trabalho pronto, que não procuram encontrar seu caminho e que, portanto, serão metade do profissional que poderiam vir a ser.

Obs: Fiquem a vontade para baixar meus slides, minhas atividades e meus textos e podem entrar em contato comigo se não conseguirem. O texto acima não diz respeito a isso, mas sim ao fato de algumas pessoas se absterem do trabalho de produzir seu próprio material pela comodidade de poder pegar o de outras pessoas, sem preocupação se ele será ou não adequado à sua realidade.

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

FRANCES E HISTÓRIA NA SALA DE AULA: SERÁ QUE DÁ CERTO?


Uma coisa curiosa aconteceu comigo ontem. Eu estava dando aula na turma do 8º ano C, da Escola Municipal Judith Lintz Guedes Machado, falando sobre pensadores iluministas -, matéria que geralmente não provoca muito interesse nos alunos - quando fui pega de surpresa com uma pergunta: - Professora, a senhora não pode ensinar francês para a gente?

Primeiro eu ri, achei engraçado, depois eu fiquei surpresa porque eles realmente estavam me fazendo uma proposta. Querem que eu tire alguns minutos do final da aula para ensinar o (pouco) que eu sei de francês para a turma.

Eu já tenho lá quase 20 anos de magistério e nunca havia acontecido isso. Então eu fiz um acordo com eles: os 10 minutos finais da aula - começando hoje - eu tiraria para estudarmos francês. Já preparei o material do primeiro dia: vou trabalhar a pronûncia. Tenho também material audiovisual. Agora é aguardar para ver se o interesse é passageiro ou não.

Caso os alunos se entusiasmem, já estou aqui fazendo meus planos de trabalhar com eles pequenos textos - futuramente - em francês, onde eles possam ler, compreender e traduzir. No início, textos pequenos e simples, depois alguns fragmentos de textos que tenham alguma relação com história. Não sei se eles irão sair falando francês, mas vai ser um incentivo a mais para que eu pratique e uma motivação para que os alunos desejem conhecer outros tipos de linguagem.

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Dossiê Ensino de História


Recebi por e-mail, da Profa. Dra. Cristiani Bereta da Silva (UDESC) duas dicas de leitura para professores de história e especialistas em educação, que estão disponíveis na Internet.

  1. Dossiê História e Ensino. Teorias e metodologias publicado na Revista Antíteses, periódico semestral eletrônico on-line do Programa de Pós-Graduação em História Social da Universidade Estadual de Londrina (clique aqui para ler.
  2. Dossiê Ensino de História publicado na Revista PerCursos, periódico editado semestralmente pelo Centro de Ciências Humanas e da Educação/FAED, da Universidade do Estado de Santa Catarina/UDESC (Clique aqui para ler)
Ainda não li os textos, apenas alguns resumos. Mas vale a pena ter o material.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

APRESENTAÇÃO DE SLIDES SOBRE RENASCIMENTO (ATUALIZADA)

Minha primeira apresentação de slides do ano. O tema é renascimento. Eu peguei o Slide de 2010 e dei uma ajeitada, com fragmentos de texto e imagens que tirei da Internet. Esqueci de citar os sites consultados. Foi a pressa. Tinha que enviar para a escola antes do almoço, pois vou começar a usar amanhã.

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

CARTILHA DO SEXTO ANO - REVISADA

Fiz uma revisão e ampliei atividades da apostila que eu montei em 2008 para uma turma do sexto ano com a qual eu tinha dificuldade em trabalhar. Fiz a adaptação do conteúdo de acordo com o CBC de MG. Como muita gente acessa e pede a apostila, achei melhor dar uma ampliada e uma revisada, pois eu fiz tudo "correndo". Ainda não está 100%, mas já dá para "quebrar um galho".

Apostila_completa_revisada_2011


A versão em PDF ficou com algumas "falhas" na formatação que não existem na versao em word, então peço desculpas antecipadas elas "falas fora dos balões".